Seu lixo merece mais atenção

Campanha Metropolitana do Agasalho tem mais de 20 pontos na Cidade
23 de junho de 2017
Santos terá ação para orientar sobre lei do Salão Parceiro em julho
2 de julho de 2017

A partir do dia 02 de julho, a cidade de Santos passa a contar com uma lei que visa proteger o meio ambiente ao mesmo tempo em que garante mais geração de renda a trabalhadores do setor de reciclagem. O Programa Socioambiental de Coleta Seletiva Solidária Recicla Santos (Lei 952) cria uma regra para o gerenciamento do lixo e da coleta.

Na prática, todos os munícipes deverão adquirir o hábito de separar o lixo reciclável do orgânico. A legislação obriga que papel, papelão, metais, plásticos e vidros sejam descartados no dia da coleta seletiva do seu bairro. Já os restos de alimentos são descartados diariamente, como é feito hoje. Esse lixo é chamado de orgânico (ou úmido).

A legislação também cria duas figuras na produção de lixo – dos pequenos geradores domésticos e comerciais, que produzem até 120 quilos ou 200 litros por dia de lixo. Os grandes geradores domésticos e comerciais, que superam os índices citados.

Todos os geradores domésticos e os pequenos comerciais continuarão sendo atendidos normalmente pelo serviço público de coleta – os grandes geradores domésticos também poderão optar por entregar os recicláveis para uma cooperativa cadastrada na Secretaria de Meio Ambiente (Semam).

Já os grandes geradores comerciais deverão contratar serviço próprio de coleta, transporte, separação e destinação final dos resíduos, arcando inclusive com seu custo (exceção feita apenas à coleta dos resíduos recicláveis, que poderá ser realizada pelo serviço público, mediante autorização da Semam, como forma de incentivo à reciclagem).

A fiscalização caberá à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e, quando for o caso, à Guarda Municipal e a Secretaria de Finanças. As penalidades vão de advertência com prazo de 30 dias para eliminar irregularidades, multa de R$ 1 mil por uso irregular dos contentores e, no caso do grande gerador de lixo, de R$ 2 mil pela falta de apresentação, à Semam, do plano de gerenciamento de resíduos sólidos.

Postos
Grandes geradores comerciais também deverão providenciar postos de entrega voluntária para recebimento de recicláveis e resíduos especiais entregues pelos clientes do estabelecimento, com o objetivo de aumentar a reciclagem e o reaproveitamento de matérias primas. É o caso, por exemplo, das lâmpadas. O Recicla Santos também proíbe a coleta seletiva por veículos clandestinos, que em geral usam mão de obra infantil nesse trabalho.

Como classifico meu resíduo?

=> Resíduos úmidos e rejeitos = descartar na coleta diária. São os orgânicos, como restos de comida, além dos rejeitos como papeis usados (higiênico, laminado, guardanapo), absorventes e fraldas descartáveis.

=> Resíduos secos recicláveis = descartar na Coleta Seletiva São os limpos, como embalagens, plásticos, papel-papelão, vidro, metais etc.

=> Resíduos especiais e não recicláveis = devolver aos postos de venda Óleo lubrificante, óleo comestível, baterias automotivas, pilhas e baterias portáteis, produtos eletroeletrônicos e seus componentes, lâmpadas (de todos os tipos), pneus, medicamentos, latas de tinta, aerossóis etc.

Benefícios

Hoje, estima-se que aproximadamente 40% de todo resíduo destinado ao aterro sanitário seja constituído de resíduos recicláveis (matéria prima), com valor econômico agregado. A partir do momento em que cada gerador, seja ele comercial ou residencial, separe os recicláveis dos resíduos orgânicos, haverá um significativo aumento na quantidade de recicláveis destinados à coleta seletiva.

Consequentemente, são benefícios da nova lei:

– Acréscimo na renda dos trabalhadores do setor
– Redução no volume de resíduos destinados ao aterro Sítio das Neves e
– Maior reaproveitamento dos recicláveis por parte da cadeia produtiva, reduzindo a pressão sobre os recursos naturais, como água, energia elétrica, madeiras, petróleo, minérios entre outros.

Dias e horários da Coleta Seletiva

Segunda-feira
=> 8h – Estuário, Piratininga, São Manoel, Alemoa
=> 13h – Boqueirão

Terça-feira
=> 8h – Santa Maria, Bom Retiro, Vila Belmiro, Valongo, Morro São Bento, Boa Vista, Pacheco, Vila São Bento
=> 13h – Campo Grande

Quarta-feira
=> 8h – Paquetá, Vila Nova, Centro e Jardim Castelo
=> 13h – Marapé e Gonzaga (zona comercial)

Quinta-feira
=> 8h – Rádio Clube, Vila São Jorge, Chico de Paula, Jabaquara e Monte Serrat
=> 13h – Pompéia, José Menino e Gonzaga (comercial/ residencial)

Sexta-feira
=> 8h – Vila Mathias, Areia Branca e Gonzaga (zona comercial)
=> 13h – Embaré e Aparecida

Sábado
=> 8h – Caneleira, Saboó e Encruzilhada
=> 13h – Ponta da Praia, Gonzaga (zona comercial), Nova Cintra, Macuco

Saiba mais

– Uma lata de alumínio reciclada economiza energia equivalente a uma televisão ligada por três horas
– Uma tonelada de papel reciclado economiza 10 mil litros de água e evita o corte de 17 árvores.
– Cada 100 toneladas de plástico reciclado economiza 1 tonelada de petróleo.
– Uma tonelada de vidro reciclado economiza 50% no consumo de água.

Recicláveis e não-recicláveis

Papel

– Recicláveis – Aparas de papel, jornais, revistas, caixas, papelão, papel de fax, formulários de computador, folhas de caderno, cartolinas, cartões, rascunhos escritos, envelopes, fotocópias, folhetos e impressos em geral.

– Não-recicláveis – Adesivos, etiquetas, fita crepe, papel carbono, fotografias, papel toalha, papel higiênico, papéis e guardanapos engordurados, papéis metalizados, parafinados e plastificados.

Metal

– Recicláveis – Latas de alumínio (de bebidas), latas de aço (de óleo, sardinha, molho de tomate), tampas, ferragens, canos, esquadrias e molduras de quadros.

– Não-recicláveis – Clipes, grampos, esponjas de aço, latas de tintas e pilhas.

Plástico

– Recicláveis – Tampas, potes de alimentos, frascos, utilidades domésticas, embalagens de refrigerante, garrafas de água mineral, recipientes para produtos de higiene e limpeza, PVC, tubos e conexões, sacos plásticos em geral, peças de brinquedos, engradados de bebidas e baldes.

– Não-recicláveis – Cabos de panela, tomadas, embalagens metalizadas (de alguns salgadinhos), isopor, adesivos e espuma.

Vidro

– Para a separação de vidros, o cuidado deve ser redobrado. Ao separar os vidros quebrados é necessário embalar em papel de jornal adequadamente, pois caso isso não seja feito, a integridade física dos coletores é colocada em risco.

– Recicláveis – Garrafas de bebidas, potes, frascos, copos e embalagens.

– Não-recicláveis – Espelhos, cristal, ampolas de medicamentos, cerâmicas e louças e vidros temperados planos. Todos os materiais devem estar separados, limpos e secos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *