Projeto Cidade Segura atua no Centro

Há três gerações olhando para o futuro
9 de julho de 2017
Pequenos negócios respondem por 91% das vagas de empregos
9 de julho de 2017

IMG-20170608-WA0012Desde o início de junho, 30 guardas municipais estão nas ruas do Centro de Santos atuando como guarda comunitária nas ações integradas de prevenção ao crime e de cidadania. O projeto Cidade Segura surgiu durante as reuniões do Grupo Técnico de Trabalho do Centro, é executado pela Prefeitura de Santos, conta com o apoio da CDL Santos e do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista.

Divididos em dois grupos de 15 profissionais, a corporação trabalhará em quadrantes pré-determinados, que incluem vias como Tuiuti, Dom Pedro, Amador Bueno, João Pessoa, do Comércio, Praça Rui Barbosa e imediações da Alfândega. Contará com a retaguarda de oito a dez policiais militares por turno do programa Atividade Delegada, do governo estadual.

“O objetivo é proporcionar mais segurança a essa área estratégica da cidade, muito frequentada por pessoas que trabalham ou buscam o comércio. A partir da experiência do Centro, vamos expandir para outros corredores comerciais como a Av. Álvaro Guimarães, na Zona Noroeste; a Rua Trabulsi, na Ponta da Praia; e o Gonzaga“, afirma o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.

“A presença dos guardas aumentará a sensação de segurança aos comerciantes e às pessoas que frequentam o Centro. Essa é uma solicitação antiga dos lojistas do Centro Histórico e tenho certeza que os comerciante auxiliarão no desenvolvimento do projeto. A união de esforços entre as diversas entidades, certamente, vão fortalecer o comércio, criar a manutenção dos empregos e aquecer a economia”, ressalta o presidente da CDL Santos, Camilo Rey Andújar.

Capacitação e infraestrutura
Os guardas municipais contarão com o suporte de uma unidade móvel (van), que será ponto de referência nos quadrantes; três viaturas; quatro motos e duas bicicletas. Estarão dotados de formulário para registro de ocorrências relacionadas à segurança pública, fiscalização de posturas e pedidos de serviços de zeladoria, a serem encaminhadas à Ouvidoria, Transparência e Controle. Também auxiliarão a população sobre pontos turísticos, entre outras informações.

Recentemente, o grupo foi capacitado em técnicas de patrulhamento, abordagem a moradores em situação de rua e informações sobre pontos turísticos. Os treinamentos continuam. Há dois anos e meio na corporação, o servidor Alexsandro Rodrigo Alves Sato, 34 anos, é um dos que atuará no projeto. “O trabalho de guarda comunitária nos aproxima da população e nos faz ver os problemas mais de perto para tomar as providências”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *