Criar e transformar sem perder a tradição

CDL Santos em prol da sociedade
15 de novembro de 2017
Projeto “Cartão parceria” deve movimentar economia da região
15 de novembro de 2017

A Musical, loja tradicional de instrumentos musicais localizada na Praça Mauá, 26, existe há mais de 80 anos, já está a caminho de sua terceira geração e não se perdeu no tempo. Passou pelas transições de LP, CD, versão digital e agora até chegou no streaming online e, para se manter firme nesse mercado de transformações rápidas, ao invés de vestirem a camisa da crise eles buscam novas ideias para atrair o seu principal público, o verdadeiro fã da música.

Em entrevista ao CDL Santos em Revista, o atual proprietário dessa charmosa loja e agora também café, reformada há três meses, Wagner de Carvalho Pedrozo, conta um pouco da sua história e de como ao lado de sua esposa, Márcia de Oliveira Rodrigues Pedroso, toca o empreendimento herdado de seu pai.

Com mais de 80 anos de tradição no Centro de Santos, conte como foi reorganizar seu empreendimento?
A Musical era uma loja só de instrumentos em um imóvel muito grande para o ramo. Já estamos planejando há cinco anos essas mudanças e agora há três meses conseguimos abrir esses novos ambientes, com uma boa distribuição, agregando o café e transformando a loja em um espaço cultural. A pessoa pode ouvir música, tomar um café, ver uma exposição de arte ou fotografia, a ideia é que tudo fique bem integrado.

Como foi passar por essas últimas mudanças no mercado da música?
Com a chegada da pirataria as vendas diminuíram muito, nosso cliente passou a ser aquele que realmente gosta de música, que quer levar o encarte para casa. Então passamos a vender online, não sabíamos ao certo o que estávamos fazendo e tudo foi um grande aprendizado. A internet, que deveria ser um vilão, se tornou nossa aliada. E depois com o tempo os LPs, por muito tempo esquecidos, voltaram a ser objetos de desejo. E hoje apostamos na integração de todas as formas de se consumir a cultura, além da tradicional venda de instrumentos musicais, partituras e acessórios para músicos.

Porque vocês ainda apostam no Centro como área comercial?
Primeiramente porque tudo começou aqui e eu não me vejo em outro bairro. A Musical existia antes de construir esse prédio, ela começou na Rua Martim Afonso. Porém, acredito que ainda temos muito trabalho pela frente para a retomada do bairro como um potencial centro comercial. Enquanto não for investido em habitação e projetos de moradias, para transformar o Centro de Santos em um bairro vivo, ainda vamos perder muitas vendas para os outros bairros comerciais como Gonzaga e Boqueirão, por exemplo.

Como a CDL Santos vem auxiliando os lojistas nessas inovações do bairro?
Em todas ações de melhoria precisamos nos reunir para conseguir as transformações desejadas, pois sozinho nenhum comerciante irá conseguir muitos benefícios. E a CDL Santos vem há anos auxiliando na organização desses grupos de ações. É muito importante nesse momento do País nos reunirmos com ideias para trazer de volta para o Centro de Santos algumas atividades que estimulam às vendas, como as campanhas das datas comerciais: Natal, Páscoa e dias comemorativos como das mães, dos namorados, dos pais e das crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *